Plano Municipal de Cultura

cultura

Acesse o Plano na íntegra: Plano Municipal de Cultura

Acesse a Lei da íntegra: Lei Municipal nº 2658/2016

“Nos séculos XIX, XX e XXI a sociedade tem passado por profundas transformações, se adaptando, se reinventando, se modernizando e ao mesmo tempo lutando para preservar suas identidades e raízes, origens e memórias. Nesse complexo e conflitante processo transformador, a cultura desponta como elemento de preservação, mas também propulsor da criatividade humana, agregando grupos e criando elos entre os indivíduos que habitam um espaço através de suas semelhanças ou diferenças e das percepções sobre o passado e o futuro.

Santa Teresa vive um momento de reaproximação com sua cultura quando volta seus olhos à preservação dos valores e bens que a compõem e passa a dar a devida importância ao fato de ser um território formado através da política de imigração criada pelo governo do estado do Espírito Santo na segunda metade do século XIX, responsável pela ocupação das terras do Timbuy por milhares de imigrantes, em sua grande maioria, italianos.

Para consolidação do Núcleo Timbuy, hoje município de Santa Teresa, foi necessário o trabalho e dedicação do próprio imigrante para suprir suas necessidades básicas, dentre eles os aspectos culturais. Sendo a cultura inerente ao modo de viver e ao cotidiano, m uitas das manifestações culturais desenvolvidas hoje no município fazem parte da memória que vem sendo transmitida pelas gerações, ao longo dos anos.

Culinária típica, arquitetura, tradições culturais e religiosidade, são expressões culturais que se mantem bem próximas do que se fazia nos primeiros anos da pequena Vila de Santa Thereza, fundada em meio aos vales da região centro serrana. O clima, a terra fértil e a semelhança com a terra natal foram elementos responsáveis pela fixação desses imigrantes no território. Com o passar dos anos, esses aspectos foram se adaptando às condições impostas, com a inserção de novos costumes e a necessidade de adequação, porém, boa parte deles permanece bastante parecidos com a produção original.

Diante dessa bela história, o Plano de Cultura de Santa Teresa surge como uma ferramenta norteadora, construída de forma democrática e que tem a função de organizar e parametrizar o setor cultural, imputando responsabilidades a diversos agentes, entre eles ao Setor Público, de modo a concretizar uma política cultural sólida e eficaz, aproximando o sujeito de sua história e espaço.

O documento atende a necessidade do município de adequar sua política cultural à nova linha do “pensar e fazer” cultura. É o mais importante documento produzido pelo setor cultural até o momento e o primeiro plano de cultura a ser instituído legitimamente.

Estabelece os principais conceitos, princípios e propõe objetivos para a política cultural teresense, apresentando também um diagnóstico com desafios a serem superados nos próximos 10 anos, valores e ações, tendo o cidadão e agentes do setor como parte essencial no processo de planejamento e execução das ações previstas. Assim, sentimo-nos bastante satisfeitos, principalmente por termos realizado um trabalho de gestão que teve como elementos chaves o planejamento e a participação popular e colaborativa onde todas as propostas e sugestões foram ouvidas e aproveitadas, além de efetivarmos o cumprimento de mais uma etapa estabelecida no Sistema Municipal de Cultura.”